PT/     ENG

Ricardo Santos andou no Top-10 e é o melhor luso


Ricardo Santos andou no Top-10 e é o melhor luso

15/10/2015

O nevoeiro fez com que a conclusão da primeira volta só seja possível amanhã e Vítor Lopes é um dos 14 jogadores que vão jogar mais de 18 buracos. Ricardo Santos, em 33º, é o único português dentro do cut provisório. O inglês Andy Sullivan e o belga Nicolas Colsaerts são os líderes com 7 pancadas abaixo do Par.

Ricardo Santos é o melhor português na primeira volta incompleta do Portugal Masters, ocupando o 33º lugar empatado do torneio do Turismo de Portugal, de 2 milhões de euros em prémios monetários, que o European Tour está a organizar até domingo no Oceânico Victoria Golf Course, em Vilamoura.

O nº2 português e 180º da Corrida para o Dubai do European Tour completou a primeira volta em 69 pancadas, 2 abaixo do Par do percurso desenhado pelo mítico Arnold Palmer.

«Estou bastante contente por ter reagido bem quando as coisas não correram de feição e também por ter jogado abaixo do Par. Foi isso a que me propus e tive uma boa atitude em campo. Jogar abaixo do PAR é sempre positivo», disse o algarvio de 32 anos.

Ricardo Santos começou bem, com 2 birdies nos quatro primeiros buracos e nessa altura entrou no top-10. Depois sofreu 1 duplo-bogey no 14. «Falhei à esquerda, fui para dentro de água e tive de dropar praticamente do tee das senhoras, porque a bola saiu direita dentro do aspersor», lamentou-se.

Teve, então, a referida grande reação, em parte ajudado pelo seu caddie, o seu treinador Almerindo Sequeira. Fez logo 1 birdie no buraco seguinte, no 15. Mais birdies caíram no 18 e no 5 e nessa altura voltou a estar entre os melhores, mas 1 bogey no último buraco, o 9, atirou-o para o tal grupo dos 33º classificados, sendo o único português dentro do cut provisório.

Há, contudo, mais quatro jogadores portugueses em muito boa posição de passarem a barreira dos 36 buracos e de se qualificarem para o fim de semana, uma vez que Ricardo Melo Gouveia, Tiago Cruz, João Carlota e o amador Tomás Silva surgem empatados no 68º posto, com 71 pancadas, a Par do campo, a apenas 1 do cut (declarações de todos os portugueses em anexo).

Em situação muito mais complicada estão Pedro Figueiredo e Filipe Lima, respetivamente no 121º (+6) e 124º (+7) e último lugar.

O mais importante torneio português de golfe é liderado por dois jogadores com 64 pancadas, 7 abaixo do Par: o inglês Andy Sullivan e o belga Nicolas Colsaerts.

Sullivan venceu este ano dois torneios do European Tour – o Open da África do Sul e o Joburg Open –, enquanto Colsaerts é um bom amigo de Filipe Lima e um herói da vitória europeia na Ryder Cup em 2012.

«Regra geral foi um dia muito agradável», disse, fleumaticamente, Sullivan, o 66º do ranking mundial e 26º na Corrida para o Dubai, depois de carimbar 8 birdies e apenas 1 bogey.

«É um campo onde me sinto confortável. No ano passado estive muito perto de fazer aqui uma volta de 69 e de ganhar o torneio e tenho muito boas memórias deste sítio», declarou, mais efusivamente, Colsaerts, o vice-campeão do Portugal Masters, que hoje cometeu a proeza de somar 2 eagles e 4 birdies para apenas 1 bogey.

O 9º Portugal Masters começou com um atraso de 55 minutos devido a nevoeiro cerrado, mas depois o sol brilhou em todo o seu esplendor e as imagens televisivas enviadas para todo o Mundo promoveram o Algarve como a melhor região da Europa para se jogar golfe em outubro.

Amanhã (sexta-feira), a segunda volta começa às 8h00 e os 14 jogadores que não conseguiram concluir hoje a primeira volta regressam ao campo às 8h20. Entre eles está o amador Vítor Lopes, que vai com 2 pancadas acima do Par com três buracos ainda pela frente.

NA FOTOGRAFIA: Ricardo Santos / © Álvaro Marreco

 

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn