PT/     ENG

“Estamos à espera de um dia muito duro”


“Estamos à espera de um dia muito duro”

16/10/2016

Jose Maria Zamora, director do Portugal Masters, explica o shotgun marcado para sábado

Amanhã, a terceira volta do IX Portugal Masters começa com um shotgun, algo que só aconteceu uma vez em provas do European Tour, desde que o circuito foi criado oficialmente em 1972, por ocasião do Open da República Checa de 1994. Depois das tormentas da edição de 2014, reduzida a duas voltas devido a chuvas torrenciais, teme-se o pior para o fim-de-semana. O espanhol Jose Maria Zamora, director do maior torneio do golfe nacional, explica o que se pode esperar para o fim-de-semana.

Pergunta – Amanhã, a terceira volta do Portugal, será feita em shotgun, uma situação raríssima no historial do European Tour… 

Resposta – Sim. Exato. Isto permitirá termos hipóteses de terminar a terceira volta amanhã. Teremos alguma chuva durante a manhã e chuva muito forte a partir das 13h00. A única opção para conseguir concluir a terceira volta é utilizando o sistema de shotgun. Vamos alterar a preparação do campo. Esperamos vento de 30 a 40 milhas por hora, por isso não vamos cortar os greens. Vamos chegar alguns dos tees para a frente para tornar o campo mais jogável. Estamos à espera de um dia muito duro. 

E no domingo, calculo que também para seu aborrecimento, parece que não vai estar muito melhor…? 

Domingo não parece muito bom. Neste momento a grande preocupação é relativa à terceira volta. Vamos tentar que seja realizada. E se tivermos um pouco de sorte, teremos a quarta volta no domingo. Se podemos ou não jogar no domingo, veremos. Mas como digo, a previsão do tempo é muito, muito má. 

Nos primeiros dois dias tivemos as habituais boas condições meteorológicas, não foi? 

O tempo tem estado fantástico. Está calor no campo, um dia de sol. Temos uma multidão a ver golfe. E no ano passado tivemos pouca sorte com o cancelamento das duas últimas voltas. Este ano, não estava muito promissor para esta semana. Mas como disse, até agora tivemos dois dias fantásticos. 

Tal como referiu, o ano passado o Portugal Masters foi reduzido a 36 buracos. Estamos na etapa fundamental da temporada, perto da Final Series da Race to DubaiHavendo prova em Hong Kong para a semana, é necessário evitar um adiamento para segunda feira…. Mas pode reconfirmar o que acontecerá ao prize-money. E se não forem jogados os 72 buracos? 

Se não jogarmos 72 buracos, jogaremos três voltas. Neste caso o prize found é pago na totalidade, e se tivermos que interromper antes, e jogarmos apenas 36 buracos, serão pagos 75 por cento. 

NA FOTOGRAFIA: Da esquerda para a direita, Peter Adams (do European Tour), Cristopher Stilwell (Grupo Oceânico), Romeu Gonçalves (Oceânico) e Jose Maria Zamora (European Tour) / © FILIPE GUERRA

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn